Rede Media e Literacia busca novos parceiros

Tweet about this on TwitterShare on Facebook0Share on Google+0Share on LinkedIn0

media e literacia_logoCriada em 2008, em Portugal, a Rede Media e Literacia nasceu para promover a cooperação entre pessoas, instituições, projetos, pesquisas e ações, que trabalham com as diferentes mídias sob a luz da educação inclusiva.  O trabalho desenvolvido contempla, especialmente, crianças e jovens.

“Por que Media? Porque falamos e refletimos sobre os diferentes meios de comunicação, sobre seu poder, sua força, como funcionam, para que servem e como são utilizados. Por que Literacia? Porque literacia significa alfabetizar, conhecer de modo amplo, de compreensão. E queremos conhecer, compreender, entender mais e perceber como funcionam os media (que são os meios de comunicação, principalmente os digitais!)”, explica a idealizadora, Raquel Pacheco.

O objetivo é que a rede seja utilizada por professores, alunos, investigadores, pessoas interessadas na temática, para que possam divulgar seus trabalhos, suas ideias. Além disso, pretende se tornar um repositório de materiais úteis para pesquisa. Mas, para isso acontecer, precisamos de pessoas engajadas e cooperativas, atuando em rede.

O Sala Aberta é parceiro da Rede Media e Literacia!

Você tem alguma ideia, alguma ação, algum projeto bacana para divulgar? Entre em contato conosco e dê luz às suas iniciativas. Ou envie e-mail para: mediaeliteracia.cinemaeducacao@gmail.com .

Acompanhe e participe da Rede Media e Literacia: Canal no YouTube, Fan Page no Facebook, Blog e Site (recém lançado!)

 

raquel-pachecoRaquel Pacheco é doutora em Ciências da Comunicação pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e pelo Instituto de Artes e Comunicação Social da Universidade Federal Fluminense (Brasil). Teve sua pesquisa financiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia de Portugal (FCT). É membro do Interdisciplinary Centre of Social Sciences – CICS.NOVA e autora do livro “Jovens, Media e Estereótipos – Diário de Campo Numa Escola Dita Problemática” (Livros Horizontes, 2009). Atuou como cineasta profissional no Brasil e como colaboradora em Portugal.

 

 

Voltar ao topo