Idade Mídia] Livro revela experiências de 10 anos do programa

Obra que retrata experiência com adolescentes do Colégio Bandeirantes, em São Paulo, foi lançada no último sábado e já se torna leitura obrigatória para educadores e pais

Fotos: Paula Korosue

Por Talita Moretto

No último sábado (14), estive em São Paulo acompanhando o lançamento do livro ‘Idade Mídia – A comunicação reinventada na escola’, do jornalista e educador Alexandre Le Voci Sayad. A obra revela as experiências com jovens estudantes do Colégio Bandeirantes, em São Paulo, que participaram do programa Idade Mídia, um ousado projeto proposto por Sayad e Gilberto Dimenstein no ano de 2002, e que prometia lidar com uma era que ainda estava por vir: os estudantes teriam autonomia para conceber e executar um projeto de mídia — sua própria revista — e vivenciariam um ano de experiências em comunicação e expressão. Isso tudo antes mesmo da febre dos blogs e das redes sociais. Para Dimenstein, “o jornalista e o educador fazem a mesma coisa: selecionam o que é relevante para transmitir, e hoje as informações são muitas e descontextualizadas, mas ainda temos o poder de decisão”, acredita ele. Isso justifica a necessidade em se discutir mídia na escola e mostra o porquê da direção do Colégio ter aceitado o desafio de realizar o programa.

No evento, um bate-papo entre o próprio Dimenstein, o diretor presidente do Bandeirantes, Mauro de Salles Aguiar, a professora de História do colégio, Marina Consolmagno, o jornalista e professor, Sérgio Rizzo, e o professor e educomunicador da Universidade de São Paulo (USP), Ismar de Oliveira Soares – pessoas que acompanharam toda a trajetória do programa – conseguiu mostrar a importância do Idade Mídia para todos os envolvidos. “Projetos como esse fazem com que a escola comece a fazer sentido para o aluno”, afirmou Rizzo. E Aguiar complementou: “Este livro é indispensável para quem se interessa por educação e comunicação”.

Sayad destaca que teve duas escolas práticas para testar o uso de mídia na educação. Uma delas foi a Cidade Escola Aprendiz, fundada junto com Dimenstein no final dos anos 90, e a outra foi no próprio Bandeirantes. “Foram meus espaços de experimentação, onde vi o que dava certo e o que podia mudar. Usei o livro para colocar a educação sobre a ótica do programa Idade Mídia. É um livro interessante para educadores e pais também, porque ele quebra alguns mitos da educação e da comunicação quando colocamos em prática, dentro da escola”, esclarece o autor que é especialista em educação e direitos humanos, e secretário executivo da Rede CEP (Rede de Experiências em Educação, Comunicação e Participação). “Nesta proposta de unir mídia e educação, o jovem e o adulto podem se entrelaçar e construir juntos”, afirma Soares que contou que o livro já é leitura obrigatória para os alunos da primeira turma do curso de graduação em Educomunicação da USP.

Saiba mais sobre programa Idade Mídia e confira a cobertura completa do lançamento em: livroidademidia.colband.blog.br.  

Entenda o livro: O Idade Mídia firmou-se como modelo de uma nova educação em que o jovem é ator na construção do aprendizado, dentro e fora do espaço/tempo da escola formal. O livro apresenta a trajetória do programa e revela sua metodologia; traz depoimentos dos profissionais que colaboraram ao longo dos dez anos de sua existência; e conta algumas das belas histórias dos mais de duzentos alunos que levaram as lições da comunicação para as suas vidas. A obra está à venda pela Editora Aleph. Mas quem mora em Ponta Grossa/PR, e fizer parte do Projeto Vamos Ler, aguarde porque o Alexandre estará aqui em setembro e vai trazer alguns exemplares.

Voltar ao topo
Visit Us On FacebookVisit Us On TwitterVisit Us On YoutubeVisit Us On Instagram